Resenha: Venetia e O libertino | Georgette Heyer

Título: Venetia e o libertino
Autora:
Para qualquer jovem que vivesse no interior da Inglaterra em 1818, a felicidade poderia ser resumida em beleza, educação e um bom casamento. Contudo, Venetia Lanyon não é como a maioria das moças e, na verdade, a ideia de matrimônio não lhe cativa. Mas um encontro atípico faz com que ela conheça um vizinho de péssima reputação, lorde Damerel, famoso por ter fugido anos antes com uma mulher casada. A jovem Venetia vê-se então atraída por um libertino cujo estilo de vida escandaliza a região há anos. Ela deverá descobrir se é correspondida e se o amor seria capaz de mudar as pessoas.

- Resenha -
Venetia Lanyon é uma jovem que conquista logo de primeira. Divertida, independente, inteligente, linda e atrevida. Aí se vai minha primeira estrela logo nas primeiras páginas. Ao decorrer as primeiras páginas, a descrição da propriedade e toda a vida de Venetia é feita de forma magistral e encantadora, nos conduzindo tão levemente e divertidamente que as páginas passam sem serem sentidas. 

“Ela era uma perfeita amazona; e a aparição súbita de um raptor brutal na pacífica vizinhança cumpridora da lei parecera, mesmo no sonho, um tanto forçada.”

E então, vem o primeiro impacto: Lorde Damerel, o barão maldito, e nossa! Uma das melhores apresentações de personagens já feitas! De forma um tanto abrupta, muito divertida e extremamente apaixonante, já ficamos desde então, com uma quedinha pelo querido barão, e a quedinha só vai aumentando até se tornar um tombo! A segunda estrela!

 “Deve ter sido ousado, ardente e, talvez, tivesse sido desesperadamente resoluto. A vivência o tornara um cínico, mas não fora cínico em sua mocidade fogosa. Ela sabia que na época ele não fora capaz de sorrir diante da própria loucura.”

A terceira estrela se deve à forma que a aproximação entre os dois é conduzida, pelo irmão caçula de Venetia, que ao se acidentar em sua montaria, é salvo por ninguém menos que Damerel, e não apenas uma amizade forte é estabelecida entre os dois, como Venetia é obrigada com prazer a cuidar de seu irmão na residência do barão, levando assim à um forte sentimento recíproco. 

“Eram amigos íntimos, talvez um estranho os tivesse imaginado parentes, tão francas e incerimoniosas eram suas conversas, e até agora extraídas de simples brincadeiras.”

Apesar de tão fortes ligações estarem sendo estabelecidas, elas sofrem demasiadas intervenções de outros que não vem o Barão Maldito com bons olhos. Como o jovem, futuro Lorde Denny e o enfadonho Mr.Yardley, pretendentes insistentes e metidos de Venetia, que possuem diferentes motivos para ameaçarem essa relação. Ou até mesmo a maravilhosa Lady Denny, segunda mãe de Venetia, preocupada demais com a reputação de sua jovem amiga. Quatro estrelas pela perfeita ambientação do romance!

“Você talvez lamente esse dia, eu não! O que lamento é o que jamais poderei anular, porque os deuses não anulam o espaço ou o tempo ou transformam um homem como eu num homem digno de ser seu marido.”

Acredito que cada personagem seja perfeitamente caracterizado e interessantes por si próprios. Ao ler, as possibilidades são abertas para que você escolha seu favorito e não se arrependa de sua escolha. Também, esta história singela e linda de amor é apaixonante, não haverá um único momento em que não desejará chegar ao final, em que desejará que ambos não sejam felizes para sempre, e também irá perder as esperanças, até enfim chegar ao final arrebatador e se perguntará, porque não tem mais, porque terminou. Venetia e Damerel são apresentados com maravilhosas qualidades e defeitos também. Ao terminar, perceberá como o amor muda, de forma inconsciente, mas não pelo pedido do seu amado, mas pelo seu próprio desejo de ser melhor, e ainda sim permanecerá consciente daqueles tristes fatos ou passados que não podem ser alterados. Perceberá então, que quem te ama, amará também esta parte sua. Amará cada parte sua. Venetia e Damerel: Meu querido shipp.
PS: Não preciso explicar a quinta estrela...

“Se ele deve entregar-se a tais hábitos perdulários, ele espalhará suas pétalas de rosas para que eu pise em cima, não uma de suas ridículas prostitutas!”
 


2 comentários:

  1. Oi Ariane, gostei de sua resenha, tem um tempinho que venho querendo ler esse livro e conhecer a escrita da autora, pelo que li em sua resenha, ela desenvolveu uma história divertida e envolvente, acho que vou até procurar com mais afinco esse livro e incluir nos livros pra ler ainda esse ano ;)

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito das resenhas que você escreve. Meu tempo curto me faz selecionar as leituras que não são da minha área prifissional, então sis escrita me ajuda muito. Show!!! Parabéns e obrigado.

    ResponderExcluir