Resenha: Ligações | Rainbow Rowell

Título: Ligações
Autor:  Rainbow Rowell
Editora: Novo Século
Número de páginas: 304
Classificação:
Sinopse: Georgie McCool sabe que seu casamento está estagnado. Tem sido assim por um bom tempo. Ela ainda ama seu marido, Neal, e ele também a ama, profundamente – mas o relacionamento entre eles parece estar em segundo plano a essa altura.
Talvez sempre esteve em segundo plano.
Dois dias antes da tão planejada viagem para passar o Natal com a família do marido em Omaha, Georgie diz a ele que não poderá ir, por conta de uma proposta de trabalho irrecusável. Ela sabia que ele ficaria chateado – Neal está sempre um pouco chateado com Georgie –, mas não a ponto de fazer as malas e viajar sozinho com as crianças.
Então, quando Neal e as filhas partem para o aeroporto, ela começa a se perguntar se finalmente conseguiu. Se finalmente arruinou tudo.
Mas Georgie estava prestes a descobrir algo inacreditável: uma maneira de se comunicar com Neal no passado. Não se trata de uma viagem no tempo, não exatamente, mas ela sente como se isso fosse uma oportunidade única para consertar o seu casamento – antes mesmo de acontecer…
Será que é isso mesmo o que ela deve fazer?
Ou ambos estariam melhor se o seu casamento jamais tivesse acontecido?




                                                – Resenha –

 

 

“Se tivessem dado uma máquina do tempo de verdade, ela acabaria usando para dormir de conchinha com ele. Que outra pessoa vá matar o Hitler.”

Pra mim esse livro deveria virar filme. Ele é engraçado e nos faz refletir sobre várias coisas. E também é emocionante. Rainbow Rowell acertou demais! Eu já li também Eleanor & Park. Gostei, mas não me cativou do modo que cativou várias pessoas que botaram ele na lista de favoritos. 

Já assistiu o filme Click? Então, é ‘aquela comédia que te faz refletir’. Por favor, façam um filme com esse livro! hahahaha

“Acha mesmo que eu consigo viver sem você? Porque eu não tive sorte nenhuma nisso até agora.”

Georgie é nossa narradora e personagem principal. Tem duas filhas, é casada com Neal e é extremamente workaholic. Ah, ela tem também um melhor amigo chamado Seth e seu marido e seu melhor amigo nunca se deram bem!

A narrativa mistura presente com passado, mostrando lembranças de Georgie e também, claro, as conversas no telefone com a tal viagem no tempo. Mas não vou dar mais detalhes sobre isso :)

Acho que é impossível não se sensibilizar com Georgie. Quando ela nota o que está acontecendo na vida dela, como essa rotina corrida, com a dedicação maior ao trabalho, atrapalha — e muito — a sua vida pessoal, todo mundo lembra de alguma coisa que já fez (ou deixou de fazer) por conta do trabalho. Afinal, #QuemNunca ficou até mais tarde no trabalho e acabou perdendo a oportunidade de dar um beijo de boa noite em alguém? Ou deixou de ir numa festa de algum amigo porque tinha algo do trabalho pra fazer…?

Leitura leve, divertida, emocionante e que nos faz refletir. Recomendadíssimo!

“Esses telefones de disco eram quase como meditação. Eles te forçavam a desacelerar e se concentrar. Se você discasse o número seguinte rápido demais, tinha que recomeçar desde o início.”


.

1 comentários:

  1. Menina, achei que eu era a única pessoa do mundo que não tinha morrido de amores por Eleanor & Park!!! Comprei cheia de expectativas pelas resenhas que tinha lido e no fim achei bem mais ou menos...
    Até então não tinha tido vontade de tentar ler mais nenhum livro da autora por achar que seriam parecidos, mas depois da sua resenha acho que vou tentar arriscar esse daí. Quem sabe não tenho o mesmo gosto que você? hahahah

    Beijos ;*

    Coral,
    Universe for Words

    ResponderExcluir