Crítica: Assassino a Preço Fixo 2: A Ressurreição

Título: Assassino a Preço Fixo 2: A Ressurreição
Direção : Dennis Gansel
Roteiro: Philip Shelby e Tony Mosher
 Elenco: Jason Statham, Jessica Alba, Tommy Lee Jones
Classificação:                                       Sinopse: 
Vivendo escondido no Rio de Janeiro há cinco meses, Arthur Bishop (Jason Statham) é descoberto por uma capanga enviada por Riah Crain (Sam Hazeldine), um velho conhecido da época em que viveu no orfanato. Crain quer que Bishop retorne à vida de assassino para eliminar três pessoas que atrapalham bastante seus negócios, mas com uma exigência: que as mortes sempre aparentem acidentais.Para tanto, usa como isca Gina (Jessica Alba), uma ex-agente que dá aulas na Tailândia, por quem Bishop está interessado. 

                                                                       Resenha 

“Arthur Bishop” está de volta. E essa é uma péssima notícia para seus alvos. O assassino de elite tentou viver uma vida pacata, no Rio de Janeiro, mas é descoberto pelos capangas de “Crain”, seu amigo de infância e, agora, seu inimigo mortal.

Ponto alto do filme é a fotografia. O Rio de Janeiro, indiscutivelmente, continua lindo! A Tailândia, Austrália... lugares que o diretor de fotografia, Daniel Gottschalk, soube explorar muito bem. Lugares paradisíacos, ótimos para uma boa briga.

A história é uma velha conhecida, nossa. O inimigo do  “o cara” principal, que é um brutamontes, mas tem um coração bonito, usa a garota dele, para conseguir o que quer. “Bishop” se mantém tranquilo, para cumprir suas missões; mas, entre um assassinato aqui e outro ali, ele tenta resgatar a “mocinha”.

O roteiro é clássico de filme de ação. Não tem absolutamente nenhuma novidade.

Mas o filme empolga, porque tem um ritmo bom, porque a gente gosta de ver Jason Statham dando porrada em geral e porque o final sempre tem uma surpresa; surpresa essa que a gente já imagina, mas sempre abre o sorriso quando ela acontece. Além disso, há pequenos erros durante o longa, que a gente percebe, mas vida que segue. Não costumo exigir muito do gênero.

As atuações são “normais”. Jason é praticamente o mesmo personagem de todos os filmes, o que não me incomoda, porque eu sempre tive a mesma sensação com os grandes nomes de filme de ação: Van Damme, Stallone, Chucky Norris...


Ir para o cinema assistir a um filme de ação, requer desprendimento de absurdos. Se você se incomoda com mentiras, com heróis “comuns”, passe longe. Mas se você gosta de explosões, pancadaria, planos inteligentes e uma pitada de romance, Assassino a Preço Fixo 2: A Ressurreição está como uma boa opção, em cartaz, nos cinemas.

0 comentários:

Deixe seu comentário