Crítica : Passageiros

Título: Passageiros
Direção: Morten Tyldum
Elenco:Jennifer Lawrence, Chris Pratt, Michael Sheen,Laurence Fishburne,Andy Garcia,Aurora Perrineau ,Lindsey Elizabeth
Gênero : Romance e Ficção Científica
Classificação:Sinopse: Durante uma viagem de rotina no espaço, dois passageiros são despertados 90 anos antes do tempo programado, por causa de um mal funcionamento de suas cabines. Sozinhos, Jim (Chris Pratt) e Aurora (Jennifer Lawrence) começam a estreitar o seu relacionamento. Entretanto, a paz é ameaçada quando eles descobrem que a nave está correndo um sério risco e que eles são os únicos capazes de salvar os mais de cinco mil colegas em sono profundo.
                                          




                                                   Resenha


Uma viagem, só de ida, para colonizar um outro planeta. O planejado é dormir não sei quantos anos, mas você acorda noventa anos antes do planejado. O que fazer? Você é o único cercado pela escuridão do céu, tendo apenas a companhia de um androide barman e os computadores falantes. Você vai morrer sem qualquer contato humano. Então, você descobre como acordar outra pessoa. Uma pessoa que vai acordar no tempo certo, que não precisa passar pelo mesmo sofrimento que você. Que dilema!

Como o trailer já deixo bem claro, não vou considerar spoiler. Apesar de James Preston (Chris Pratt) vivenciar o dilema de acordar ou não a garota, ele decide pelo pior e acorda Aurora Lane (Jennifer Lawrence) para que os seus dias não sejam mais solitários. Uma história de amor tensa, que começa de uma forma completamente errada e que pode revoltar qualquer pessoa que tenha bom senso.

O início do filme, quando James vai descobrir a nave, procurar passar o tempo, é divertido e importante para termos ideia da situação dele naquele espaço grande, porém limitado. É angustiante e sufocante, porque todas as possibilidades que ele acha que podem ajudá-lo, são esperança para quem está assistindo, também. E cada vez que uma situação dá errado, é difícil não se colocar no lugar dele. Então, há um questionamento interno, aquele que está em diversos filmes e situações da vida: “e se fosse comigo?”

Então, quando Aurora desperta do seu sono, parece que a situação fica mais leve; mas não fica! É mais sufocante, porque é mais uma pessoa privada de chegar no seu destino final. E a forma canalha de como ela chega até aquela situação, sem saber, é mais revoltante ainda. Ele sabe muito; ela não sabe nada.

As atuações são ótimas, como já era de esperar. Chris e Jennifer têm uma química inquestionável. A participação de Michael Sheen só faz ratificar a fantástica escolha dos atores.

O roteiro é muito bom. A história é perturbadora por várias questões, mas, de certa forma, conseguimos ter um olhar mais amoroso, quando tantos outros questionamentos são apresentados. Além disso, é algo diferente. Apesar de parecer ser uma história de amor comum, “Passageiros” vai além, por fazer, o público que está acostumado a ter tudo “de bandeja”, pensar em diversos temas.


                        “Passageiros” chega aos cinemas hoje, 05/01. 

1 comentários:

  1. Fui ver esse filme sem saber de nada e me surpreendi quando vi era bem focado no romance! Achei um pouco exagerado pra ser sincera e, como não sou fã do espaço, fiquei bem angustiada algumas vezes, mas no geral achei bem divertido, viu. E as atuações, claro, foram MARAVILHOSAS! Adorei a resenha! Beijos, Ju
    docurailusoria.blogspot.com

    ResponderExcluir