Resenha: A Menina que tinha Dons | M. R. Carey

Título: A Menina que tinha Dons
Autor: M. R. Carey
Editora: Rocco
Número de páginas: 384
Classificação: ★★★★
Sinopse: Num futuro distópico, em que a maioria da humanidade foi exterminada, um grupo de crianças vive confinado numa base militar. Todas as manhãs elas aguardam em suas celas o sargento Parks vir com uma arma apontada e mais dois de seus homens para afivelá-las — tornozelos, pulsos e pescoço — à cadeira de rodas que as levará para a aula. Certa vez, Melanie, a mais inteligente delas, brincou dizendo que não iria mordê-los. Ninguém riu. Sabiam que o cheiro de carne humana era o estopim para que ela perdesse o controle e entrasse num estado de muita, muita “fome”! Eis a premissa de A menina que tinha dons, original e emocionante thriller de horror de M.R. Carey, prestigiado roteirista de HQ’s de sucesso, como Hellblazer e X-Men, título que inaugura o Fábrica231, novo selo de entretenimento da Editora Rocco.


– Resenha –

Quando vi o trailer book desse livro foi paixão, corri para comprar e ler o livro que tem um começo lento, onde têm as explicações da vida de Melanie, sua rotina de ir do quarto para a sala de aula, de sábado somente fica trancada escutando música e aos domingos toma banho e come, tudo isso amarada em uma cadeira de rodas.

Melanie é a mais inteligente da sua sala e tem uma professora que é a sua preferida que gosta dela como se fosse uma menina comum e que dá a ela um livro de mitos gregos, mas tudo muda quando o lugar onde esta é atacado, e precisa unir forças com os adultos para sobreviver.

O livro começa a ter ritmo do meio em diante, não que o começo dele seja desnecessário, porém a partir dai que o livro entra na ação e luta pela sobrevivência do grupo, com um final surpreendente que nos deixa refletindo sobre a vida.

O livro perde uma estrela devido seu começo lento e com explicações sobre a rotina de vida da personagem, porém que são necessárias para se entender o que se passa na cabeça de Melanie em sua jornada de autodescobrimento, totalmente diferente do que já li onde se mistura distopia com ficção cientifica.


Recomendo a leitura!

0 comentários:

Deixe seu comentário