Resenha: Crônicas de Artur - O Rei do Inverno - Livro 1 | Bernard Cornwell

Título: Crônicas de Artur - O rei do Inverno
Autor: Bernard Cornwell
Páginas: 544
Editora: Record
Classificação: 
Sinopse: 
O Rei do Inverno conta a mais fiel história de Artur, sem os exageros míticos de outras publicações. A partir de fatos, este romance genial retrata o maior de todos os heróis como um poderoso guerreiro britânico, que luta contra os saxões para manter unida a Britânia, no século V, após a saída dos romanos. "O livro traz religião, política, traição, tudo o que mais me interessa," explica Cornwell, que usa a voz ficcional do soldado raso Derfel Cadarn para ilustrar a vida de Artur. O valoroso soldado cresce dentro do exército do rei e dentro da narrativa de Cornwell até se tornar o melhor amigo e conselheiro de Artur na paz e na guerra.                                                                
                                                Resenha

A história sobre o rei Artur sempre foi envolvida à magia e mistérios... Cavaleiros reunidos em uma távola redonda, espada presa em pedra, magos e bruxas. Temos excelentes livros que contam esta história, com destaque à Brumas de Avalon, outra excelente série de livros. Porém, o diferencial das Crônicas de Artur é justamente ir de encontro a todos os outros relatos sobre o Rei Artur. Bernard Cornwell, através de pesquisas e estudos, nos relata como poderia ter sido realmente a vida de Artur, caso ele realmente tivesse existido. Todo o texto é baseado na realidade da época. Temos no livro os personagens clássicos como Merlin e Morgana, mas isso não significa que o autor criou mais um livro de fantasia. Um dos truques do Cornwell é não deixar claro a existência da magia nos livros, como fica claro em uma das passagens deste primeiro volume.

A narrativa de Bernard Cornwell é realmente envolvente. A descrição dos cenários, a riqueza de detalhes, porém sem ser maçante, te transporta para a Inglaterra do Século V. A descrição das pessoas também é fiel à realidade da época. São pessoas sem dentes e sujas, colchões de palhas infestadas de piolhos e por aí vai.

A descrição das batalhas é algo de arrepiar. Nunca li em nenhum outro livro uma descrição de batalha tão perfeita quanto Cornwell faz. Ele te transporta para a tensão do momento que antecede a batalha. A descrição de uma parede de escudo é algo fora do comum! Você fica tão imerso no mundo descrito por Cornwell, que quase dá para sentir o cheiro da bebida, suor e sangue em um campo de batalha.

No livro vemos também o crescimento da igreja católica, em detrimento às religiões pagãs, a política entre reinos e a invasão saxônica.

Um romance histórico completo: realidade, humor, guerras, romance, política, misticismo, religiosidade e muito sangue! Altamente recomendado.

Por: Carlos Lacerda

0 comentários:

Deixe seu comentário