Resenha: King of Thorns | Mark Lawrence

Título: King of Thorns
Autor: Mark Lawrence
Editora: Darkside
Páginas: 523
Classificação: Nenhum texto alternativo automático disponível.
Sinopse: Jorg consegue cumprir sua promessa de se tornar Rei aos quinze anos tomando as terras de seu tio através de um "golpe" de mestre. Entretanto, o coração de Jorg não se aquieta. As Terras Altas de Renar apenas são um início do seu plano para se vingar dos seus algozes, incluindo seu pai. Entretanto, Jorg se vê com um problema. Uma guerra impossível de ser vencida está prestes a estourar ameaça a dar fins aos planos maquiavélicos de Jorg. E uma outra ameaça, ainda inominável, encontra-se a caminho do Castelo Vermelho. E as peças do tabuleiro criado pelos Construtores estão encaixadas para o início de um embate que alterará planos e alianças feitas anteriormente...
Resenha:

King of Thorns é o segundo livro da trilogia dos espinhos. Ainda avança na história escrita pelo personagem Jorg de Ancrath, que busca vingança. Entretanto, a narrativa começa a ganhar, digamos, um corpo, onde não só a história de Jorg é contada, mas a história do mundo. Personagens como Orrin e Egan de Arrow, os principais "mandantes" da guerra iminente, a Rainha de 12 anos, Miana - pra mim, uma das melhores personagens da história, em alguns momentos, superando até o protagonista - e a necromante Chella, auxiliam Mark a desenvolver a história do mundo apocalíptico, mostrando paisagens e visões diferentes da mesma cena. 

O ponto principal do livro é a divisão entre a escrita de Jorg, e o diário de Katherine. Um pouco "bobo" no começo, mas, conforme o livro anda, vai mostrando as pretensões e objetivos dessa personagem. Katherine, ao contrário do que Jorg pensa no começo dessa jornada está para se tornar uma personagem extremamente importante. 

Por fim, o último ponto - que eu não falei na sinopse - e que torna, de certa maneira, o livro atrativo, quase ao ponto de merecer nota máxima, é a iminente chegada do Rei Morto. Mesmo que os acontecimentos "pequenos" como a guerra e o desenvolvimento de Jorg e Katherine, e até o desenvolvimento de Chella, estejam ocorrendo e a pleno vapor, a iminente chegada do Rei Morto, o chefe dos necromantes promete mudar o mundo contra os planos dos "Construtores" (que não são revelados no segundo livro e nem no terceiro também) e a guerra de Arrow contra Jorg seria só o princípio.

Concluindo...

... o segundo livro da Trilogia dos Espinhos serve sim como uma excelente ponte entre o início e o fim - parece meio óbvio, eu sei, mas tem livros que não fazem tão bem essa ponte como King of Thorns. 

Os personagens sim, continuam mais do mesmo - o que não é ruim - com o acréscimo da crueldade da princesa Miana. É algo mais assustador pois ela possui uma inteligência bem acima de sua idade. Pra quem assistiu Game of Thrones (quase todo mundo), a Miana lembra muito a Olenna (a avó de Margaery). E quero adiantar que ela possui um papel importante no terceiro livro, assim como a Katherine de Scorron. 

O desenvolvimento da trama principal - a guerra entre o reino de Arrow e Jorg - é um dos mind games mais bem tramados de livros de fantasia. Digno de Game of Thrones (que eu considero nota 10 nesse quesito). A irmandade de Jorg está presente nesse livro, entretanto, em menor escala. Mark ainda utiliza o recurso de escrever algo a respeito de cada um dos irmãos de Jorg antes de cada capítulo. O recurso é bem utilizado, não-cansativo e, dá uma certa pausa pra respirar antes das ações.

Recomendo a leitura dessa trilogia e, caso você leitor, seja amante de música com leitura, a trilha sonora de Within Temptation é perfeita e combina com toda a história (o nome do CD é "The Heart of Everthing").

Escrito por Alvaro Dias

2 comentários:

  1. Bacana! Vou botar aqui na minha lista de desejado. Eu não curtia muito livros com continuação, mas resolvi dar uma chance a Outlander e gamei nessa coisa de trilogia, tetralogia, pentalogia :). Valeu a dica!
    www.dicasdaclau.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal Cláudia.

      Essa é uma trilogia que vale a pena, a história tem algumas viradas bem interessantes e surpreendentes. Pode ir sem medo =D

      Excluir